previous arrow
next arrow
Slider

Série Guerrilheiras: Adriana, Dani, Dona Dadá, Dona Irene, Dona Nice, Elisabete, Generosa, Joana, Luisa e Adriana, Marineide, Priscila, Sônia.
12 fotografias sobre papel Photo Rag 308 gsm Hahnemuhle 100% algodão, 96 x 66 cm

A série Guerrilheiras faz parte do conjunto de obras realizadas por Virginia de Medeiros no contexto do projeto Alma de Bronze, resultado da convivência da artista com lideranças femininas da Frente de Luta por Moradia (FLM) do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), de São Paulo. O contato de Medeiros com o movimento começou em 2016, a partir de sua participação do Programa de Residência Artística Cambridge, por meio do qual a artista pôde viver durante três meses em um quarto do 15º andar da Ocupação Hotel Cambridge, registrando o cotidiano de militância das mulheres do MTSC em uma série de fotografias e depoimentos em vídeo. Algumas perguntas foram centrais para direcionar o diálogo, como: “Você se considera uma guerrilheira contemporânea, uma mulher vitoriosa?” e “Qual é a sua ferramenta de força, de luta?”. No ano seguinte, ainda no contato com o movimento, a artista teve a oportunidade de participar desde o início do processo de formação da Ocupação 9 de Julho. Guerrilheiras é composta pelos retratos de 12 mulheres de destaque no cotidiano da ocupação. Nas fotografias, essas mulheres de trajetórias de vida extremamente significativas são retratadas com os elementos que consideram como seu símbolo de força. A série de fotografias integrou a exposição Alma de Bronze (2018), apresentada na própria Ocupação 9 de Julho, junto com vídeo homônimo sobre o processo de ocupação do edifício no centro de São Paulo e a videoinstalação Quem Não Luta tá Morto (2018), composta por 12 vídeos que apresentam os depoimentos dessas mulheres. Para ver os vídeos do Alma de Bronze, clique aqui.

The Guerrilheiras [Female Guerillas] series is part of a group of works created by Virginia de Medeiros under the Alma de Bronze [Bronze Soul] project, as a result of the artist’s experience with the women who lead Frente de Luta por Moradia (FLM, the Struggle for Housing Movement) of São Paulo’s Movimento Sem Teto do Centro (MSTC, the Downtown Landless People’s Movement). Medeiros first came into contact with the movement in 2016 as she joined the Cambridge Artist Residency Program, which saw her spend three months living in a 15th floor bedroom at Ocupação Hotel Cambridge, a squatted former hotel in São Paulo. There, she portrayed the daily militance of MTSC
women in photographs and video statements. Some questions were key in steering conversations, such as: “Do you consider yourself a contemporary guerilla, a victorious woman?” and “What is the tool that gives you strength in the struggle?”. The following year, while still in touch with the movement, the artist had the chance to participate in the inception of squat Ocupação 9 de Julho from the very start. Guerrilheiras comprises the portraits of 12 women who play key roles in the occupation’s day-to-day. The photographs depict these women, whose life stories are extremely relevant, alongside the elements they consider to be their symbols of strength. The photo series was featured in the Alma de Bronze exhibit (2018), which took place at Ocupação 9 de Julho itself, along with an eponymous video on how the downtown São Paulo building got squatted, and the video installation Quem Não Luta tá Morto Those Who Won’t Fight Are Already Dead, composed of 12 video statements from the women. To see the video Alma de Bronze, click here.

previous arrow
next arrow
Slider

Quem Não Luta Tá Morto, videoinstalação, 1h56’, 12 vídeos de 13’


previous arrow
next arrow
Slider

Alma de Bronze, vídeo, 33’


Ocupação 9 de Julho MSTC